domingo, 18 de janeiro de 2009

À procura do meu universo particular...


Quatorze de setembro de 2008, um divisor de águas. Jovem, “bem-sucedida”, 25 anos, carioca apaixonada, flamenguista doente, sem medos de viver, coração de manteiga, avessa aos relacionamentos. Frequentadora de um consultório terapêutico, esbaforida, ansiosa, frenética, inconformada. Meados da noite de mais um domingo, prestes a enfrentar o que mais gosto na vida, um novo desafio.
Paf paf paf! O que poderia, perfeitamente, ser a chamada de mais um jornal se tornaria, então, a minha realidade. Bala, bandido, ou polícia, matérias em jornais, sensacionalismo, bombeiros, hospital público, a vida e a morte brigam por quem é mais resistente. Eu, que já vivia um paradoxo, sou ele.
Parei, um meliante de quinta categoria me parou em uma esquina tumultuada, mas deserta e sem policiamento, do Rio de Janeiro. Não me sinto especial por isso, me sinto, infelizmente, mais uma em meio ao caos da Cidade Maravilhosa, que, de maravilhosa tem as praias que não podemos mais habitar tranqüilamente. De maravilhoso o Rio tem a beleza natural que não pode ser mais desfrutada, tem o povo que já não é mais solidário, tem um governo inconsistente e um povo inconsciente.
Mas remoer a situação descrita seria aceitar o que essa realidade imunda me impôs. A idéia seria fugir, para Fuji, Bahamas, França, Inglaterra, e não me venha dizer que em Gaza as coisas estão pegando fogo. Uma maioria absoluta de completos alienados explicaria o conflito do Rio de Janeiro como uma comparação a uma guerra histórica, religiosa, enfim. Matamos por matar, essa é a grande notícia dos jornais todos os dias, e fingimos que isso não está acontecendo até que...paf.
Voltando ao dia 14, ainda é difícil conviver com a realidade, e, mais difícil ainda, aceitá-la. Não me reconheço em minha imagem, em minhas palavras, em meu dom, em minha força. Há muito que agradecer, mas a quem devo o meu maior agradecimento é ao impalpável, e, por isso, tão difícil de aceitar. Quatro meses depois, o que me parece uma eternidade, enxergo a compreensão aos olhos de poucos. A maioria, como sempre, parece achar que já é tempo o suficiente de levar uma vida normal. Lê-se por vida normal rir do que não tem graça, beber quando não há motivo e se arriscar onde tem muito risco. O difícil é ser diferente. O teatral passa longe dos que amam o teatro. O cinema tornou-se a última opção. A garra é para poucos, a maioria quer mesmo é ser “marginal”, à margem dos poucos que se encontram a léguas de distância dos que julgam estar curtindo a vida adoidado.
Os sonhos realizamos quando temos metas, as metas são atingidas quando temos foco, e os focos ficam desfocados quando enxergamos por lentes que não nos mostram o real. Abusemos do filtro solar, Bial, mas não achemos que muitos quarentões encontrar-se-iam perdidos eternamente por aí. Get up!
Vinte e seis anos, voltando ao que mais curto na vida, escrever e ler, ainda em encontro ao que bate em meu coração. Do amarelo ao roxo. Da pele queimada a pele branca. Do cabelo claro a aceitação do escuro. Da falta de tempo ao uso do tempo. Da falta de foco ao uso de lentes. Do imaginário ao real ao imaginário. À procura do meu universo particular...



18 comentários:

Caroline disse...

Nem preciso dizer que apesar do acontecido, seu talento continua o mesmo.

Então, reforço o que te digo sempre - Não pare nunca...

Vc escreve mt bem e assuma isso pra vc mesma...

Passarei por aqui de novo e quero ver algo novo... rs

Beijos, beijos!

Michelle disse...

Estou muito feliz com seu retorno!!! Suas palvras refletem o seu interior,por isso não deixe de escrever nunca!!! Estarei sempre ao seu lado!!!

beijos

Anônimo disse...

Isso me fez lembrar uma frase de uma cara muito bacana...
"Não se drogue por não ser capaz de suportar sua própria dor. Eu estive em todos os lugares e só me encontrei em mim mesmo."

John Lennon

Adorei, escreva sempre, todos os dias. IMAGINE

Bjs

Carol

Débora Vargas disse...

Bota legal nesse cara, amiga...

Thaís disse...

ohh minha amiga, como eu queria te dar um abraço e te chamar prá tomar uma cerveja e esquecer essas "coisas ruins que acontecem com a gente". Como eu queria te dizer assim do fundo do meu coração que Deus sabe o que faz e q a gt é q não sabe o que fala... Mas eu sei q não é bem assim, é a sua história, a sua dor, o seu luto, seu tempo e a sua vida! Não é uma matéria sensasionalista que depois de duas semanas perde a validade e dá lugar prá outro caso. É a sua vida! É a vida e a história de alguém que faz parte da minha vida tb!!!
Não sei o que eu posso fazer ou falar para que esse momento fique em você como mais um momento- muito desagradável da sua vida- não sei! Sei q nada q eu falar vai adiantar...
Esse ano de 2008 me impressionou e marcou muito, por muitas coisas q aconteceram com pessoas MUITO próximas e que antes só aconteciam "na televisão e no jornal". Eu vi na televisão e no jornal amigos meus vivendo coisas muito distantes e muito dignas de serem somente matéria velha pro jornal de amanhã.
Mas amiga, a vida segue, as coisas continuam acontecendo. E o mais palpável q vc mesmo atribuiu ao "impalpável" continua mostrando que é a única certeza que temos na vida.

Estou aqui sempre tá!? E que esse divisor de águas na sua vida seja uma etapa de aprendizado e crescimento... que seja o dia que você confirmou o quanto TUDO é tão importante na sua vida e o quanto a vida é tão cheia de incertezas...
Você é tão forte e doce que conseguiu transformar em palavras e com leveza um acontecimento só seu. Que te marcou de um modo especial, e só você sabe o quanto..

A vida continua... mas você- e só você sabe como ela continua....

Você é linda!!! obrigada por dividir tamanha emoção e por continuar se abrindo por aqui...

2009 é o começo de uma vida nova!!!!!!

te adoro!!!!!!!!!

bjussssssssssssss

Thaís disse...

ohh minha amiga, como eu queria te dar um abraço e te chamar prá tomar uma cerveja e esquecer essas "coisas ruins que acontecem com a gente". Como eu queria te dizer assim do fundo do meu coração que Deus sabe o que faz e q a gt é q não sabe o que fala... Mas eu sei q não é bem assim, é a sua história, a sua dor, o seu luto, seu tempo e a sua vida! Não é uma matéria sensasionalista que depois de duas semanas perde a validade e dá lugar prá outro caso. É a sua vida! É a vida e a história de alguém que faz parte da minha vida tb!!!
Não sei o que eu posso fazer ou falar para que esse momento fique em você como mais um momento- muito desagradável da sua vida- não sei! Sei q nada q eu falar vai adiantar...
Esse ano de 2008 me impressionou e marcou muito, por muitas coisas q aconteceram com pessoas MUITO próximas e que antes só aconteciam "na televisão e no jornal". Eu vi na televisão e no jornal amigos meus vivendo coisas muito distantes e muito dignas de serem somente matéria velha pro jornal de amanhã.
Mas amiga, a vida segue, as coisas continuam acontecendo. E o mais palpável q vc mesmo atribuiu ao "impalpável" continua mostrando que é a única certeza que temos na vida.

Estou aqui sempre tá!? E que esse divisor de águas na sua vida seja uma etapa de aprendizado e crescimento... que seja o dia que você confirmou o quanto TUDO é tão importante na sua vida e o quanto a vida é tão cheia de incertezas...
Você é tão forte e doce que conseguiu transformar em palavras e com leveza um acontecimento só seu. Que te marcou de um modo especial, e só você sabe o quanto..

A vida continua... mas você- e só você sabe como ela continua....

Você é linda!!! obrigada por dividir tamanha emoção e por continuar se abrindo por aqui...

2009 é o começo de uma vida nova!!!!!!

te adoro!!!!!!!!!

bjussssssssssssss

Faby disse...

Impressionate mesmo, Débora. Suas palavras materializam seus sentimentos, refletem com perfeição seu interior. Acho que essa é uma grande virtude para uma jornalista, saber se fazer entender. Entender? Talvez nem sempre, mas saber se "mostrar" através das palavras.
Parabéns, percebi que seu talento cresce a cada dia, como o amadurecimento advindo de um acontecimento tão trágico.
Estarei com você, sempre.
Beijos!

Rodrigo disse...

Mesmo a distância teimando a aparecer, nossa amizade insiste em nos aproximar...

"Tudo posso naquele que me fortalece."

De um paulista que admira cada dia mais as qualidades desta maravilha carioca.

S.

Sergio disse...

Que bom ter isso aqui movimentado novamente, é sempre muito bom ler o que escreve..
Beijo grande.

Nanda disse...

Na moral Debinha...

Deveria dispensar comentário, pelo simples fato, dEs suas palavras me emocionarem.

Mas não dá!
A clareza dos fatos... a indignação sobre a rotina 021 que está destruindo esta cidade!
NÃO PODEMOS FICAR DE MÃOS ATADAS!

E a sua contribuição é feita assim através da escrita!
Não pare nunca!!
Esse é o seu dom...
Pois, é com sua escrita, através da divulgação do seu blog.. que vc vai fazer a DIFERENÇA!

SUA ESCRITA está com cheiro de RENOVAÇÃO MADURA!

GOD BLESS YOU!

Nanda disse...

Na moral Debinha...

Deveria dispensar comentário, pelo simples fato, dEs suas palavras me emocionarem.

Mas não dá!
A clareza dos fatos... a indignação sobre a rotina 021 que está destruindo esta cidade!
NÃO PODEMOS FICAR DE MÃOS ATADAS!

E a sua contribuição é feita assim através da escrita!
Não pare nunca!!
Esse é o seu dom...
Pois, é com sua escrita, através da divulgação do seu blog.. que vc vai fazer a DIFERENÇA!

SUA ESCRITA está com cheiro de RENOVAÇÃO MADURA!

GOD BLESS YOU!

Bárbara disse...

Ñ me impressiona sua força, ñ me impressiona sua resistência, ñ me impressiona "sua volta". A Verdade é q vc nunca "foi", mas hj c/ certeza vc é uma mulher maior. Posso falar c/ base na minha profissão q vc foi convidada por Deus pra fazer parte dos atletas de elite dessa maratona q é a vida. Vc era uma amadora e de repente Deus viu em vc um potencial desperdiçado, resolveu t dar esse up grade e t levou pro nível de hj: uma mulher ñ maior ou melhor q qq outra, mas uma mulher do pelotão de elite da vida, q na maratona certamente terá algumas vantagens, afinal treinou +, se sacrificou + e no final, será recompensada. E de que vale a medalha? Nada...
Vale a maratona em si, vale o percurso, vale a dor e a superação de cada uma delas, vale a água no meio do caminho qdo a sede insiste em desanimar, valem as palmas e os gritos dos expectadores, q mesmo de longe transmitem a energia vital pra continuar, vale olhar pro lado e ver aquele companheiro com dor, querendo parar, e vc corajosamente reduz seu ritmo para reanimá-lo a continuar. Vale passar e ver do outro lado da pista, ainda indo, sem pressa aquele senhor, com + de 70 anos, sorriso no rosto, alegria sem tamanho no coração, e um único objetivo: terminar essa maratona linda q é a vida!

Lin, vc é atleta de elite dessa maratona e tenha certeza: passei p/ ajudar no seu treino assim como minha mãe; e todas as vezes q sentir desanimar tenha a certeza q sua "personal" estará lá com "Gatorade" gelado, barra de cereal e "Biofenac spray" q melhora qq dor!

Nunca esqueça: o q vale é o caminho, a medalha é só o final.

Anônimo disse...

É Lin, que bom que você voltou com o que você ama.
Tudo a seu tempo. No SEU tempo. É começo, ainda tem muita coisa, mas você define.
"O resto é sombra de árvores alheias"

Bjs
Annona

Anônimo disse...

É a primeira vez que entro no seu blog...

Adorei. Lindo. Além de demonstrar os seus sentimentos, me faz refletir sobre a vida. Tenha muita força, garra e tente tirar as coisas boas dos acontecimentos da sua vida.

E saiba que na sua caminhada você estará sempre bem acompanhada de sua família e amigos.

Meus parabéns!

Grande beijo,

Marta

Bianca disse...

Parabéns pelo retorno,garotona! Em suas palavras nota-se a busca,o encontro consigo mesmo,a luta diária de separar o joio do trigo nos momentos ruins que encontramos ao longo da vida!!
Ao ler seu texto não pude deixar de me lembrar de uma frase de E.Hemingway citada pelo José Castello -cujo texto é muito bacana e ja comentei com vc que vou te dar- em que ele compara um reporter e um escritor,e afirma que a separação entre ambos só convém aos jornalistas que escrevem mal..rs..Bem,se continuar assim,saiba que esta afirmação não se encaixa pra vc,e que está no caminho certo :p!!
Tô na torcida!!beijao

carlos_silva_rj disse...

Boa sorte em sua jornada! Qualquer coisa, estou aqui... bjs!

bruno disse...

sensacional...não conhecia esse seu talento hein débora..parabéns.
te desejo muito sucesso. A Annona falou e disse..tudo no SEU tempo..relaxe tenha calma que coisas boas estão para acontecer..com esse dom..nao tenho dúvida.
Beijos
Bruno (Moskito)

Anônimo disse...

Às vezes acho que estou te corujando,mas...Cá pra nós. Sem comentários.Te amo.Clouphia.