sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Mudaram as estações, nada mudou...


Acordei com uma sensação boa, de leveza na alma e paz no coração. Pode ser que este sentimento dure meio minuto, meia hora, meio dia, não me importa, o que importa é a indescritível ideia de que meus dedos foram destravados e que as palavras voltam a se alinhar, naturalmente, na minha cabeça.

Não há como não pensar hoje, 11 de setembro, em primeiro plano numa das grandes tragédias que assolou a nação mais sólida há alguns anos, e também em um plano mais intimista, bem mais intimista, é aniversário da minha prima-irmã-mãe. Mas a maior coisa que paira em minha mente, com certeza, é a data 14 de setembro, um dia, sim, de comemorar o nascimento de pessoas fundamentais, com todas as letras em caixa alta, na minha vida, Fabiana, minha segunda pele, e Alexandre, meu salvador. Mas dia 14 faz um ano que meu rumo, literalmente, mudou. O meu só não, mas o da minha família e amigos como um todo. Eu e meu pai fizemos um mar de gente refletir o que é a vida, o que são os perigos dela, os cuidados, os excessos, e, acima de tudo, a força do amor e da amizade em uma hora como essas. Nunca vou deixar de agradecer, e nem nunca vou esquecer, é simplesmente impossível não lembrar, ao menos, uma vez por dia. Como a passagem dos anos, isso tende a melhorar, mas, a priori, na data do nosso primeiro aniversário de renascimento ainda é complicado estabelecer, categoricamente, tudo que aconteceu, e classificar a ordem de resolução das coisas. Parece que tudo foi ontem, por horas parece que tempo se passou. Na nossa cabeça, mesmo advinda de uma evolução maior, ainda parece hoje, e isso por um motivo muito simples, nossas vidas mudaram, mas ....nada mudou. E a data fica para sempre no meu braço como um marco de mais uma grande vitória, a maior delas.


"Mudaram as estações, nada mudou, mas eu sei que alguma coisa aconteceu, está tudo assim tão diferente..."

5 comentários:

careca disse...

Muito bonito seu texto. Coisas vão e coisas vem, umas boas, outras nem tanto. Mas o mais importante disso tudo é o crescimento adquirido com essas experiências. Uma vez um monge talhou numa madeira a seguinte frase "Isso tudo passa". Parece frio e evasivo, mas a profundidade da orção cabe à interpretação de cada um. Sem mais e nem menos "isso tudo passa". O difíceis e os bons momentos estão simbióticamente e inversamente um para o outro. Assim é a vida que segue. beijão. edson cordeiro

Caroline disse...

É, Débora! sem dúvidas nada acontece por acaso!

Fico muito feliz em saber que vcé uma vencedora,e de ter feito parte desse seu momento, que por mais complicado foi um aprendizado pra todos nós.

Parabéns e continue escrevendo!

Pretoca disse...

Com certeza tudo que aconteceu nos fez refletir. Refletir também sobre como é importante dizermos tudo o que sentimos pelas pessoas, pois, a qualquer momento, podemos nos surpreender com os desejos divinos. Tive medo de não conseguir mais te dizer o quanto você é importante pra mim. Fico feliz por poder dizer isso agora. Estamos um pouco distantes, nossas profissões, gostos e destinos nos conduzem a cada dia para rotinas mais paralelas. Mas como paralelas, podemos nem sempre estar juntas, mas caminhamos sempre uma ao lado da outra. Te amo. Você me faz falta e é importante para mim. Parabéns pelo seu talente, acredite SEMPRE em você!

Clouphia disse...

"Tudo passa,tudo sempre passará. A vida vem em ondas como mar, num indo e vindo infinito."Como um mar tem ressacas e bancos de areia. Nas ressacas lutamos,quando aparecem os bancos,relaxamos,mas nunca deixando de lutar, acreditar e amar.O amor está acima de tudo e nos fez,faz e fará crescer a cada dia.Te amo.Bjs.

Alexom disse...

Oi Debora: Lendo este teu depoimento, vi o quanto voce amadureceu, aprendeu com a vida e ja faz escolhas e direciona o seu caminho. Sim, voce passou por momentos dificeis e graças a Deus, em primeiro lugar, temos voce e seu pai presentes em nosso dia-a-dia. Quis ELE lá em cima que me colocasse disponivel e ávido por ajuda-los. Não seria por menos, temos uma amizade familiar já próximo aos 20 anos, sincera, fraterna, onde sempre reinou a sinceridade, o amor e o prazer do convívio. Não foi fácil participar daqueles momentos, angústias, dúvidas, ansiedade, sim, mas uma grande vontade de agir, de fazer com que tudo desse certo, consciente de que DEUS existe e atende os nossos pedidos, os mais simples e os mais dificeis, as vezes nem percebemos. Amanha faço 53 anos e tenho um presente especial que carrego pro resto da vida, ter voces dois ao meu lado, vivos, queridos e ligados infinitamente. Bjs
Alexandre Mendes