segunda-feira, 30 de abril de 2007

Eu sou assim...

Um tempinho sem escrever, tantas reflexões, por onde começar? Primeiramente, agradecendo por tudo que eu tenho, por tudo que eu conquistei, pela família que a vida me deu, pelos grandes amigos que Deus colocou a minha frente, e pela força que, a cada dia, aumenta em prol de um dia me tornar um ser humano melhor, e talvez um pouco menos exigente comigo mesma. Esse texto que escrevo nesse momento parece mais um esclarecimento, um acerto de contas com os muitos que estão, de alguma forma, preocupados comigo. Não se preocupem! Feruzinha do meu coração, na sexta, me mandou um texto simplesmente maravilhoso, que falava sobre o “Adeus”, e não se limitava ao adeus que a vida nos impõe quando interrompe nossa vida, mas ao adeus que nós optamos, o de abrir mão por um tipo de vida em detrimento a outro que, naquele momento, nos é mais adequado, e nem por isso certo, ou errado. Aprendi, desde pequena, que a vida é feita de escolhas, e escolhas nossas, só nossas. E, cada um no seu tempo, por um simples insight, por um empurrão do destino, seja por qual motivo for, encontra o caminho que é melhor a ser seguido. Qualquer transformação que decidamos fazer traz um certo tipo de aflição, de sofrimento, mas, não necessariamente, de dor. É uma troca de um tipo de vida, por outra, só isso, mas que muda completamente o rumo, e nos torna tãaaaaao pensativos, capazes de ficarmos deitados durante horas e mais horas somente nos indagando sobre os novos horizontes a seguir. Mudanças são fundamentais, aumentam o nosso autoconhecimento, nos ajudam a entender melhor o que queremos, a enxergarmos as besteiras que andávamos cometendo por aí, e que, aos poucos, foram ajudando ao “antigo mundo” se transformar em um novo “EU”.
Sou a mesma pessoa que sempre fui, continuo com os mesmos pontos de vista, amando as mesmas coisas de sempre, indo à praia, lendo bons livros...(chega de gerundismos). Nada mudou por dentro, nem por fora, sou a mesma, um pouco melhor, ao meu ver, mais atenta aos detalhes da vida. Não estou neurótica como muitos acham, muito menos depressiva só por que parei de ir para a night, parei de beber, e de me deixar levar por coisas que, por hora, me trouxeram um certo prazer, outrora arrependimento. Mais uma opção que fiz, just this. Não deixei de ser amiga de quem, verdadeiramente, é meu amigo, nem nunca vou deixar. Não estou me lamentando por nada mais, tenho errado bem menos, aprendo mais e mais a cada dia que passa. Considero que vivo, atualmente, a fase mais lúcida da minha vida, com altos e baixos, como qualquer outra pessoa, mas focada em mim, e naqueles que me amam, de fato. Sonhos, ainda tenho muitos, sempre os terei. Ideologias, nossa, não me dêem o dom da palavra, que elas se proliferam como que numa “quase” autobiografia. Motivos para sorrir? Inúmeros...só o que tenho dentro de casa me faz sorrir até enquanto durmo, eita felicidade ter uma grande pequena família quanto a minha, com os valores que me foram passados.
Cobranças?? Faço muita, a mim mesma. Aos demais? O mínimo, o que eu considero o mínimo, como que uma forma de gratidão. Sensível?? Demais, sou um poço de sensibilidade, e de firmeza, ao mesmo tempo. Choro feito uma boba, rio como uma louca, choro de felicidade, choro de tristeza, choro por chorar, eu sou assim, ninguém vai mudar uma coisa que não me incomoda, e nem aos outros. Deixem minhas lágrimas em paz! Informação? A minha fonte inspiradora, o meu mundo das ilusões e da realidade, o meu plano de carreira. Procuro, sim, estar antenada a tudo, e, vez ou outra, me encontro mergulhada em um fato como que se tivesse acontecido comigo, e isso se chama solidariedade. Ser solidário ao sentimento do outro, acho eu, é uma das coisas mais nobres que um ser humano digno pode ter.
Materialismo?? Uma praga, a grande praga da humanidade..na qual o ser perdeu o valor para o parecer, uma tristeza. Vestir-se bem , freqüentar bons lugares??? Todos nós gostamos. Mas, por outro lado, ostentar, se achar melhor pelo que veste, pelo que tem no pé, e pelo que tem no bolso, meu Deus no céu, que valores são esses?? Uma pessoa que se calça no que é por fora, infelizmente, ao menos, se conhece por dentro, e é duro ser assim.
A vida me pregou mais um pequeno susto recentemente, passei um fim de semana quieta, na minha, abraçando meus pais e meu irmão o tempo todo, feliz, muito feliz por viver no Rio de Janeiro, e conseguir viver!
Decepções? Decepção não mata, ensina. Todas as experiências que temos na vida nos ensinam alguma coisa, nem que seja não fazê-las novamente.
Bem, já disse muito, escrevi muito, e, ao mesmo tempo, que me decepcionei, esse fim de semana, esses meros dois dias, me fizeram enxergar que tenho pessoas maravilhosas ao meu lado, que se preocupam comigo, que querem me ver sempre bem, que pensam em mim, pessoas como eu, e que, nunca, quero perdê-las. O sentimento está dentro da gente, portanto, uns mais longe, outros mais perto, sei de todas as pessoas, com clareza, com quem eu posso contar sempre, desde para bater papo ao telefone, como para viajar, chorar, e encarar todos os momentos. Estes, estes seres únicos, sabem quem eles são, eu transpareço tudo o que sinto, e por isso posso parecer meio boba, meio grossa, mas sou verdadeira. Quer saber de uma coisa? Pergunta, não consigo mentir para quem é meu amigo, de jeito nenhum. Não faça julgamentos, não passe papinho adiante, odeio fofocas, não faz bem nem a quem as faz. Preocupem-se com as pessoas que amam, façam tudo o que for possível para que você e elas sejam felizes, e os demais, deixe-os de lado. Eu, pelo menos, prometo tentar me doar menos a quem não me doa o que, minimamente, necessito.
Obrigada Fabiana, Bianca, Fernanda, Lisinha, Patrícias (azul e preta), Michele, por terem sido essenciais para que esse fim de semana me fizesse pensar isso tudo. Amo todos vocês, e muitos outros que nem puderam expressar um sentimento, sem, ao menos, saber o que se passava.
Ah...e para quem acha que é melodrama? Só lamento...eu vivo a vida , intensamente, cercada de ótimas pessoas, que me fazem crescer, se eu faço mal a alguém? Afaste-se, de repente a loucura que eu tenho pega! Coisas da vida...

6 comentários:

Preta disse...

E que reflexão, hein!!

"Tamo junta"

Bjus.......

Bianca disse...

Lin,fiquei feliz de ler o post.. Realmente aquele texto sobre o 'adeus'caiu como uma luva pras duas né?!!rs
Parabéns por estar tão ciente e serena nessa nova fase!!ótima escolha!!beijus :)

Michele disse...

Adoro seus textos, transmitem uma verdade,uma verdade sua que é também nossa, muitas coisas se encaixam na vida de todos. Você tem talento, mas não é talento só para escrever não, você também tem talento para ser a grande amiga que é. Um grande bj, ah! e também quero agradecer pela sua amizade, que é muito importante pra mim.
Não pare de escrever!!!!!

Lininha disse...

Enquanto o mundo abraça, a gente aprende com o puxão de orelha, não é?
Tô sempre aqui pro que der e vier... Conheço uma outra que também está no mesmo barco!
Acho que vc se esqueceu de uma grande amiga por aí!
Bjoca,
Lisa

Fernanda disse...

Hummmmm...
A vida é aqui agora!
Amo-te!

Mts Bjs!

Natalia disse...

Amiga, que texto mais lindo! To tao orgulhosa de vc, da pessoa que vc é, do ser humano que está se tornando... Muito lindo isso! Queria estar mais presente, queria que vc estivesse mais presente, mas continuo te amando como sempre. Pois, mesmo longe, vc está sempre aqui pertinho. E fica em aberto o convite para conhecer minha casinha, viu?

Boa sorte nessa nova etapa! Espero que esse amadurecimento traga tantas coisas boas para a sua vida quanto trouse para a minha...

Beijocas,
Nat