terça-feira, 4 de setembro de 2007

...... VIDA .......


Definitivamente, nessa vida a gente nunca pode esbravejar nada, bater no peito a esquiva, que, um dia, quando menos se espera, acontece conosco, e nós, atônitos, não sabemos o que fazer. O protagonista passa a ser coadjuvante, o coadjuvante passa a ser protagonista, é a história da vida, as surpresas da vida.
Início, meio e fim, seria tão fácil se as coisas ocorressem na ordem natural, imposta pela mãe natureza. Você começa um projeto, e leva até o fim, seja projeto pessoal, profissional, enfim. Como brilhantemente dizia Carlos Drummond de Andrade, "no meio do caminho, há uma pedra, há uma pedra no meio do caminho." E essa "pedra" que Drummond nos coloca pode ser a estrela que vai mudar o nosso caminho, o nosso destino, nos fazer flutuar, nos fazer nos conhecer, nos aceitar, mesmo com uma série de riscos.
O que seria da vida sem os riscos? Uma grande mesmice, as certezas de acordar todos os dias, cumprir uma rotina, e dormir, tudo igualzinho, sem mudanças, sem novidades. O que seria de nós sem o novo, sem a palpitação no coração, sem a sensação de sermos pegos desprevenidos? O que seria de nós sem as palavras, os olhares furtivos, os encontros e desencontros, as paixões? Ninguém vive no racional, mesmo que a tendência seja essa.
O racional, na verdade, não existe. A vida é motivação, é correr contra o tempo, atrás do mais difícil, do mais prazeroso. Do nada, surge aquela coisa que faz você perder o fôlego, a noção de tempo e espaço, e aff... sua vida gira em torno de um outro ideal, fazer o quê? S-U-R-P-R-E-S-A! E essa surpresa do destino, muitas vezes, é acometida pelo medo, o medo natural do incerto, do duvidoso.
Dúvida, que palavra chata essa. Dúvidas, questionamentos nos deixam loucos, mas, infelizmente, são necessários, personagens das páginas da vida. Ninguém é totalmente seguro, ninguém é totalmente dono de si, dos seus pensamentos, da sua vida, por mais que queiramos, temos que compartilhar os bons, e maus momentos com um próximo, não necessariamente do sexo oposto, mas entre amigos, com a família.
Nada melhor do que uma risada gostosa, um olhar verdadeiro, uma noite de lua cheia, o brilho do sol....o vento batendo nos cabelos, um beijo apaixonado, uma vida sem arrependimentos.

Um comentário:

zenosho disse...

Muy lindo tu blog.
Saludos.